PADRE CAFFAREL

O movimento iniciou-se em Paris, em 1939, fundado pelo Padre Henri Caffarel. Durante a Segunda Guerra Mundial o movimento se expandiu e é criada a revista "L'Anneau d'Or" que divulga a experiência das pequenas equipes e sua espiritualidade.

Em 1947 o movimento se organiza e é elaborado um documento fundador: a "Carta das Equipes de Nossa Senhora", ou mais conhecido por "Estatutos", que contém os pontos essenciais que cada casal, membro das ENS, deve seguir.

De 1950 a 1969 o movimento se expande. Primeiro ultrapassa as fronteiras da França, constituindo-se na Bélgica e na Suíça. Chega ao Brasil e à Luxemburgo em 1950; em 1953 às Ilhas Mauricio e Senegal; 1955 à Espanha e ao Canadá; 1956 à Inglaterra; 1955 à Portugal; 1958 à Alemanha e Estados Unidos; 1959 à Áustria e Itália; 1961 à Austrália e Colômbia; 1962 à Madagascar e Vietnam; em 1963 ao Líbano e Irlanda; em 1968 Japão e África francesa e em 1969 à Índia. Diante desta expansão, optou-se por manter o movimento como um único movimento mundial de caráter internacional.

Em 1975, as Equipes de Nossa Senhora são reconhecidas por Roma como uma "Associação Internacional Católica" - carta do Cardeal Roy, Presidente do Pontifício Conselho para os Leigos.

Em 1976, a "Carta das Equipes de Nossa Senhora" é revista por uma equipe responsável, que elabora o documento definitivo: "O que é uma Equipe de Nossa Senhora". Esta é a principal referência para as Equipes de todo o mundo. Neste mesmo ano, no Encontro Internacional de Roma nascem as Equipes Jovens de Nossa Senhora.

Em 1992 o Pontifício Conselho para os Leigos reconhece as Equipes de Nossa Senhora como Associação de Fiéis de Direito Privado e seus estatutos são reconhecidos "ad experimentum", isto é, em regime probatório.

No dia 26 de julho de 2002, festa de Sant'Ana e São Joaquim, o Pontifício Conselho para os Leigos reconheceu definitivamente as Equipes de Nossa Senhora como Movimento de Fiéis Leigos.

Para mais informações (Fonte):

(Fonte: Wikipédia)

(Fonte: Site Oficial)

(Fonte: Oração de canonização)

(Fonte: Principais publicações do Pe. Henri Caffarel)

(Fonte: ENS Mundial|Pe. Caffarel)